A ESTRELA DO ORIENTE

(uma novela em 5 capítulos - completíssima da Silva - e em breve os desenhos feitos pelos meus alunos ilustrando essa novela e como você pode aplicar essa mesma história para adolescentes) 

  

Capítulo 1 -

 Como tudo começou...

Há muito tempo atrás, num reino distante, havia um rei muito próspero - seu nome era Xerxes. Seu  reino era assim porque ele invadia cidades e reinos menores através de guerras, e anexava-os ao seu reino. Isso o tornava muito rico e poderoso. O rei Xerxes era  casado com uma linda rainha chamada Vasti e daí viveu feliz para sempre.

Ops... Mas será que já terminou a história?

Em contos de fadas tem que terminar nos felizes para sempre.  Mas... onde está o enredo? Assim a história fica sem graça. Temos que ver como se desenrola esta história. Então vamos para a trama da história.

 A festa

 Tudo começou com uma festa no jardim do palácio do rei, onde ele chamou muitos, mas muitos convidados, desde o mais pobre, ao mais rico e não era uma festa de apenas um dia, mas de sete dias, com muita comida, música e bebidas. A rainha, para não ficar para trás, também deu um banquete só para as mulheres dentro do palácio. Em certo momento da festa, o rei mandou buscar a rainha para vir ao seu banquete. Sabe o que aconteceu?

 A rainha Vasti não quis ir ao banquete do rei.

 O rei ficou muito bravo: - Onde já se viu desobedecer a uma ordem do rei?

 O rei Xerxes  e consultou os seus conselheiros que lhes disseram:

 - Faça uma lei em que toda a mulher deva obedecer a seu marido e quanto a rainha Vasti, ela deverá ser punida! Ela deixará  de ser rainha e nunca mais porá os pés no palácio!

 Os conselheiros estavam preocupados com a atitude da rainha Vasti, pois se a moda pega e as mulheres começassem a botar as asinhas de fora, a coisa  ficaria muito feia para os maridos.

 O rei Xerxes que estava muito bravo com a rainha Vasti, gostou da idéia  e  resolveu atender ao conselho dos seus funcionários. Ele destituiu  Vasti, que deixou de ser rainha e nunca mais a viu.

 O tempo foi passando e o rei se sentiu muito sozinho sem a companhia de sua rainha. A história conta que o rei perdeu a guerra contra os gregos e que estava muito deprimido e triste, então os conselheiros dão mais  um conselho para o rei.

Mas... que conselho seria esse agora? Será que o rei Xerxes iria atender ao novo conselho?

Capítulo 2 -  

Os conselheiros, vendo a tristeza do rei dizem:

 - E se fosse realizada uma seleção das moças mais lindas do reino?

 - Essas moças ficariam num lugar reservado para elas, do tipo um spa, e lá receberiam um tratamento de beleza?

 - A moça mais linda de todas ficaria no lugar da  rainha no lugar de Vasti.

 O rei gostou da idéia e assim foi espalhada a notícia  pela cidade sobre o concurso das moças bonitas.

 As mocinhas da cidade viviam comentando sobre o tal concurso, foi até designado pelo rei, um homem chamado Hegal para selecionar as moças e cuidar do harém, esse era  o nome do lugar onde as moças ficavam hospedadas. Lá elas tinham um tratamento de beleza e tinham também uma alimentação especial.

 No reino, havia um homem judeu chamado Mardoqueu que  tinha uma linda prima chamada Ester, cujo nome significa estrela do oriente. A pobre moça era órfã de pai e de mãe, por isso, o primo Mardoqueu resolveu adotá-la. Quando ele soube do concurso de moças bonitas, logo lembrou da linda prima e resolveu inscrevê-la no concurso.

 Ester se inscreveu e para sua alegria, foi aceita por Hegal. No harém, Ester se destacou não somente por sua beleza, mas também pela sua simpatia,  isso causou uma boa impressão em  todos que a viam.

De tempos em tempos, uma das mocinhas escolhidas, apresentava-se ao rei. Caso o rei a chamasse pelo seu nome para vê-la novamente,  essa seria a rainha. Muitas mocinhas se apresentaram ao rei e nada aconteceu. Chegou a vez de Ester se apresentar...

 Ela se apresentou... e o rei gostou muito dela, mais do que as outras mocinhas e então ele a chamou pelo nome,  colocou sobre sua cabeça a coroa de Vasti e deu uma grande festa, distribuindo presentes a muita gente e foram felizes para sempre? Hummmmm... a história ainda não acabou.

 Vamos para um detalhezinho muito importante.  A moça Ester não revelou a ninguém a origem de sua família, porque o primo Mardoqueu orientou que ela não fizesse isso, pois o povo judeu era meio discriminado por algumas pessoas.

Certo dia, o  primo Mardoqueu, que estava sempre perto do palácio para ver se estava tudo bem com a prima Ester, ouviu uma conversa estranha.

 dkfkd;fk;askfdklklkkdfkdf  !!!! Noooossa... o que será que Mardoqueu ouviu que ele arregalou o olho e ficou assustado?  

Mardoqueu estava próximo ao palácio quando ouviu:

O que será que Mardoqueu ouviu???

 Capítulo 3 -

- Nós vamos matar o rei Xerxes!!!

 Mardoqueu se inclinou para ouvir melhor e viu que era Bigtã e Teres, dois oficiais do rei, que planejavam matá-lo.

 Sem que os oficiais traiçoeiros o vissem, Mardoqueu foi até a rainha Ester e contou a ela sobre o plano dos dois para matar o rei.

 A rainha Ester foi até o rei e contou a ele sobre o plano de Bigtã e Teres  para matá-lo. O rei investiga e descobre que a informação é verdadeira e manda enforcar os dois traiçoeiros.  O fato é  registrado de crônicas dos reis sobre o livramento da sua morte e quem o ajudou descobrindo todo o plano foi o  judeu Mardoqueu.

 E não se falou mais nisso.

 Depois dessas coisas, o rei nomeou um certo homem, chamada Hamã como o seu braço direito, ou seja, ele ficou em uma posição elevadíssima no governo.

 Hamã ficou muito envaidecido  com seu novo cargo,  afinal de contas, todos os que passavam por ele se ajoelhavam e se humilhavam. Isso deixava Hamã muito orgulhoso, só que o primo de Ester, Mardoqueu não se ajoelhava perante ele. Uns dedos-duros vieram contar a Hamã que  Mardoqueu não se ajoelhava diante dele porque ele era judeu e os judeus só se ajoelhavam perante a Deus e não diante de  homens.

 Hamã ficou muitíssimo  irritado com Mardoqueu:

 - Onde já se viu um judeuzinho não se ajoelhar aos meus pés. Eu odeio esse Mardoqueu. Eu vou matá-lo, ou melhor, eu não vou matar apenas ele, seria muito pouco. Eu vou matar todo o povo judeu!

 Vamos voltar a fita? detalhezinho. Ester é prima de Mardoqueu que também é judia, só que ninguém sabe.

 Continuando...

 Hamã arquiteta em sua mente um plano maligno e chega sorrateiramente ao rei e diz:

- Sabe vossa Excelência... Existe no seu reino,  um povo muito desobediente, que desacata as ordens do rei, que não convêm o senhor tolerá-lo, por isso eu proponho que faça uma lei para que no dia 13 de adar (março), todo esse povo desobediente seja exterminado, desde o mais bebezinho até ao mais velho. Seja homem ou mulher. E ainda pagarei ao cofre real 350 toneladas de prata por isso.

 O rei nem questionou sobre o plano de Hamã, afinal, tinha tantos povos misturados, que um a mais ou um a menos não iria fazer diferença. Deu seu anel-selo a Hamã  para fazer a tal lei de destruição e nem quis aceitar as 350 toneladas de prata de Hamã, deixando para ele de brinde.

 Mais que depressa, Hamã saiu correndo, e todo feliz, para  redigir a lei de extermínio junto com os secretários do rei. Selou a mesma com o anel selo e mandou cópias para todos as províncias do Reino. Depois disso, foi comer e beber com rei todo feliz. A  cidade  ao ler a lei ficou confusa, entristecida.

 Quando Mardoqueu soube da lei, ficou muitíssimo chateado. Rasgou suas vestes, vestiu-se de pano de saco,  cobriu-se de cinzas e pôs se a chorar em alta voz. Todos os judeus, em todos os lugares faziam o mesmo chorando a chorando. A tristeza era imensa.

 A notícia do choro de Mardoqueu chegou aos ouvidos de Ester que logo quis saber  por que ele estava chorando e mandou um criado para lhe perguntar o motivo. Mardoqueu ao ser questionado pelo criado de Ester, conta-lhe  sobre a lei de extermínio criada por Hamã e entrega uma cópia da mesma para que ele mostre-a para a rainha Ester. Aproveita e manda um recado a fim de que Ester  interceda diante do rei por misericórdia para com o seu povo.

 Ester ao ler a lei, fica perplexa, mandou responder a Mardoqueu o seguinte:

 - Não pense que pelo o fato de ser rainha eu possa fazer isso. Existe uma lei de que qualquer pessoa que se aproxime do rei sem ser convidado morre. Então eu não posso chegar perto do rei sem que ele me chame e o pior é que já faz 30 dias que ele não me chama!  

Mardoqueu  ao ouvir a resposta de Ester argumenta dizendo:

 - Não pense que pelo fato de estar no palácio você vai se livrar da lei de extermínio. Não esqueça... você também é judia. Pense Ester!!!  Quem sabe você não está aí como rainha para  o livramento do nosso povo! Você não pode se calar nessa hora terrível.

 Ao ouvir as palavras do primo, Ester  começa a orar e a jejuar diante de Deus. Pede que Mardoqueu avise  a todos os judeus que jejuem por três dias, pede também às suas criadas que também jejuem por três dias e decide que irá falar com o rei e manda um recado para Mardoqueu assim:

 -  Ainda que seja contra  a lei eu irei falar com o rei, se eu tiver que morrer, morrerei.

 Depois de um jejum de três dias, Ester toma um belo banho, põe uma linda roupa de rainha, se arruma toda e fica no pátio interno do palácio.

 Será que ela vai morrer agora? Um soldado se aproxima com uma lança... é a lei... ele pode matá-la...

   Capítulo 4 -

O rei, ao ver a bela rainha Ester, tem misericórdia dela e estende o seu cetro, a fim de que ela não morra.  O soldado abaixa a sua lança e ela se aproxima com reverência. O rei faz uma pergunta assim:

 - Rainha Ester? Qual é o seu pedido? Mesmo que seja metade do reino, lhe será dado.

 Adivinhe  o que a rainha respondeu?

Será que ela pediu a revogação da lei????

 Hummmmm.... Ela falou assim:

 - Se for do seu agrado, venha o senhor e Hamã a um banquete que estou preparando.

 Ai... e eu pensei que ela fosse pedir o livramento do povo, mas ela está preocupada com festinha e com banquete. Hummmmmmm...

 Mas essa foi uma estratégia sábia.

 Imediatamente o rei manda chamar Hamã que vem rapidinho para o banquete. Que honra, fazer parte do banquete do rei e da rainha.

 Novamente o rei pergunta a Ester.

 - Qual é o seu pedido Ester? Mesmo que seja a metade do reino, lhe será concedido.

 Acho que é agora... Vai Ester,  manda  o pedido!!!!

 - Sabe senhor rei... se o rei tem consideração por mim e se lhe agrada conceder o meu pedido, que o rei e Hamã venham amanhã o outro banquete que vou preparar.

 Aiiii... de novo ela não disse nada.

 Naquele dia, Hamã saiu todo alegrinho do banquete, mas quando viu Mardoqueu, ficou furioso, contou até três, respirou fundo e foi para a sua casa.

Reuniu sua mulher, seus amigos e ficou se vangloriando dizendo que era isso, que era aquilo, que mandava e desmandava e que até a rainha Ester convidara ele e o rei para um banquete. Nessa hora, Hamã lembrou-se de Mardoqueu e ficou com uma raiiiiiiva imensa. De que adiantava tanta honra se o judeu Mardoqueu estava vivo e nem se prostrava diante dele.  - Ai que ódio de Mardoqueu!!!!

 A esposa de Hamã e os amigos sugerem que ele construa uma grande forca e logo pela manhã ele mande enforcar  Mardoqueu, daí ele poderá ir  bem alegre e disposto para o jantar da rainha com o rei.

 Hamã gostou da idéia e mandou fazer uma forca.

 O vento começa a soprar ao contrário

 Naquela noite, o rei não conseguia dormir. Será que ele ficou ansioso para saber o que Ester iria lhe pedir e perdeu o sono? É... pode ser... Daí... para se dormir, nada como uma leitura bem enfadonha do tipo um livro de física quântica etc... Bom... não tinha esse tipo de literatura, na biblioteca do palácio,  então trouxeram um livro de crônicas dos reis  e começaram a ler.

O servo do rei leu bem no parágrafo onde o judeu  Mardoqueu tinha livrado o rei da morte, denunciando Bigtã e Peres.

 O rei, bem desperto pergunta:

 - Que reconhecimento Mardoqueu recebeu por isso?

 Os oficiais procuram nos registros e descobrem que nada foi feito.

 Nisso, o rei ouviu um barulho no pátio externo do palácio e perguntou quem estava lá àquela hora.

 Os oficiais responderam  que era Hamã. Na verdade, queria pedir ao rei o enforcamento de Mardoqueu.

 O rei autoriza Hamã entrar. E antes de Hamã falar o que queria o rei pergunta:

 - O que se deve fazer ao homem que o rei tem prazer em honrar?

 Hamã pensa que a honra é para ele, e orgulhoso, do jeito que é, abre um sorrisão e  diz:

 - Ordene que coloque nesse homem o manto do rei; faça-o subir no cavalo do rei, leve o brasão do rei, conduza-o pela cidade e nobres do rei proclamem para que todos ouçam: Isto é o que se faz ao homem em que o rei tem prazer em honrar.

 O rei gostou da idéia e disse:

 - Vá depressa apanhar o manto e o cavalo e faça tudo isso ao judeu Mardoqueu e não omita nada, ok?

 Hamã ficou branco, verde, azul ao saber que era para Mardoqueu a ordem.

 E assim Hamã faz tudo o que o rei ordenou que fizesse com Mardoqueu. Manto, cavalo e proclamação.

 Hamã volta para casa aborrecidíssimo, pois seu plano falhou. A esposa e os conselheiros comentam com Hamã: -É... você não tem condições de enfrentar Mardoqueu, ele é de origem judaica. A queda começou, e daqui para frente você será arruinado.

 É... que consolo, hem Hamã? Isso é o que dá fazer o mal. O mal  não pode prevalecer.

 Mas... pelo menos o rei não ficou sabendo da história da forca... e ainda tinha o banquete a rainha... Ufaaaaa...

 Mas... o que será que vai acontecer no banquete da rainha?  

Capítulo 5

 Nisso chegaram os oficiais do rei  e levaram Hamã para o banquete que a rainha Ester havia preparado.

 O rei e Hamã foram ao banquete da rainha Ester. Muito ansioso, o rei perguntou:

 - Rainha Ester? Qual é o seu pedido? Você será atendida. Mesmo que seja metade do reino, lhe será dado.

 Adivinhe  o que a rainha respondeu?

 Dessa vez ela abriu o jogo com o rei, dizendo:

 - Poupe a minha vida e a do meu povo. Se fôssemos para sermos apenas escravos ficaríamos quietos, mas agora querem nos matar.

 O rei arregalou o olho e disse:

 - Quem se atreve a uma coisa dessas? Quem é que fez isso?

 A rainha Ester responde:

 - É Hamã. Ele é muito mal!

 O rei ficou furioso e de tão furioso que ficou se levantou e foi pro jardim.

 Hamã suava frio, ficou apavorado. Sentiu que foi condenado e por isso cai de joelhos aos pés de Ester e lhe implora por clemência.

 O rei retorna do jardim e vê Hamã agarrado aos pés da rainha. Ele fica mais furioso ainda com Hamã. Um dos oficiais do rei diz que tem uma forca na casa de Hamã e o rei, nem pestaneja, manda enforcar Hamã na própria forca que ele construiu.

 E assim o rei fica mais calminho.

 O rei dá todos os bens de Hamã para Ester e nomeia Mardoqueu  como substituto de Hamã.

Porém Ester ainda está aflita, pois o decreto para matar os judeus ainda está em vigor e ela pede ao rei para cancelá-lo. O rei, porém, informa que não se pode cancelar um decreto, na verdade,  o que poderá ser feito é redigir outro decreto, onde o rei apóia os judeus e que eles devem se unir e se proteger, bem como destruir quem quiser os matar.

 Mardoqueu, juntamente com os secretários redige um novo decreto, sela com o selo do rei, e manda os mensageiros entregarem o mesmo urgentemente em todo o reino e províncias. E agora eles ficam mais aliviados.

 Hummmm... mas o que será que vai acontecer nesse dia 13?

 Dia 13 chegou. Os judeus se reuniram e dominaram sobre aqueles que o odiavam. Ninguém conseguia resistir a eles. Os judeus feriram os seus inimigos a espada, inclusive os 10 filhos de Hamã.

 No outro dia eles fizeram uma grande festa. 

 Mardoqueu fez mais um decreto, onde todo o ano, nos dias 14 e 15 de adar, fosse  comemorada a festa do Purim, onde  Deus transformou o pranto em festa e a tristeza em alegria.

 E assim, a rainha Ester continuou rainha por longa data.

 Mardoqueu  foi o segundo na hierarquia, depois do rei Xerxes e era importante entre os judeus e amado por eles, pois trabalhou para o bem estar do seu povo e também de todo o reino.

Fim

 

 Quero saber  a respeito de Jesus Cristo.

Quero ver outra história!

Quero ir para outro lugar qualquer (eh eh eh)

Quero voltar à página inicial!