APERTADINHO

 Sinto-me estranha hoje. Manhã de domingo, dia ensolarado e eu aqui, ociosa, em minha casa, tomando o sol matinal, ao lado uma caneca de leite com café. Tantos anos, tantos domingos servindo a Deus, cuidando de crianças na escola dominical. Nunca me dei o luxo de faltar, somente em situações de viagens. É estranho não ir à igreja no domingo, cuidar dos meus pequeninos. Parece que falta alguma coisa. Sinto-me um peixe fora d’água.

Aproveitei para ler a Bíblia. Puxa... quanto mais eu leio esse livro, mais me apaixono pelo meu Deus... e confesso que só pelo fato de estar escrevendo essa meditação, meus olhos se enchem de lágrimas. Fico pensando nas pessoas que não tem essa experiência com Jesus, pois  deve ser muito triste e gostaria realmente que todos tivessem um contato com aquele que nos salvou e nos salva.

Após ler o pequenino salmo 117,  passei para o salmo 118. Que lindo!

O salmista diz: Na minha angústia clamei ao SENHOR; e o Senhor me respondeu, dando-me _________________. Hummmmm... o que será que o Senhor deu? Será que você sabe? Não vou escrever ainda o que está escrito no salmo, mas achei algo muito legal. Jajá eu escrevo, ta? Quero levar você a caminhar comigo nessa meditação. Eu tenho passado por situações difíceis na minha vida por esses dias.  Não é sobre a questão da cirurgia, a qual tem me feito ficar de molho aqui em casa, mas  são outros dilemas, os quais não vou mencionar aqui... mas que alguns mais chegados sabem e tem orado por mim. Ao ler esse salmo, já tinha a resposta na ponta da língua. Na angústia clamei ao Senhor; e o Senhor me respondeu, dando-me vitória.    Se você completou a lacuna com vitória, você errou. Às vezes a gente ora por uma determinada situação e já quer a vitória na mão... mas não foi isso que o salmista quis dizer. Eiii... acho que deixei você curioso, né?  Às vezes somos imediatistas e queremos, proclamamos, decretamos  a vitória... mas não é o tempo de Deus. Não acontece como queríamos e ficamos frustrados e chorosos. Então vamos lá... quer saber o que é que o Senhor respondeu? Na minha angústia clamei ao SENHOR; e o Senhor me respondeu, dando-me ampla liberdade. Engraçado, né? Deus é tremendo, sabe por que? Porque primeiro ele quer curar a nossa alma. Tratar da nossa ferida. Os problemas nos encarceram. É como um fardo pesado que Jesus diz para a gente entregar para ele. No Orkut, eu participo de uma comunidade chamada “odeio andar de bolsa”. Eu sou meio destrambelhada (rs) e quando saio por ai, saio de jeans com os bolsos abarrotados, mas gosto de ter as minhas mãos livres. É uma sensação deliciosa. Mas a sensação que Jesus quer nos dar é essa, de alívio de quebrar algemas, de liberdade. Numa referência em hebraico ainda diz: pondo-me num lugar espaçoso. Quantas e quantas vezes vivemos em momentos de aperto, de luta, de angustia. Ficamos perdidões como cachorro em dia de mudança. Mas... e aí? mas onde qual é o endereço desse lugar e como faz para chegar lá? Caminhe até o Pai com o coração bem humilde a aquebrantado, porém apertado e encarcerado. Sente-se no colo do pai e  converse com Ele, a partir daí  ele vai te conduzir num lugar de ampla liberdade, derramando paz em seu coração, dando uma hiper sensação de alívio. Saiba que ainda que as circunstâncias parecem mentir, Ele derrama a paz nos nossos corações, derrama a sua luz e ainda nos conduz no seu refúgio. Esse é o amor do Pai. Mas... engraçado é que o salmo prossegue falando sobre derrota dos inimigos e tudo mais, ou seja, sobre a famigerada vitória. Não sei quando ela vem, porém de uma coisa eu tenho certeza, estou nos braços de Deus porque fui atraída pelo seu amor e o meu desejo é que quem estiver num lugar muito apertadinho por conta do seu problemão, siga esse caminho e ache a ampla liberdade. Porque será que isso acontece? É simples: Porque Deus é bom; e o seu amor dura para sempre.

 Que a paz de Jesus que invade corações apertados seja sobre a sua vida!

 Em Cristo

 Lina

17/7/2005 10:37

 autora: Aurelina Silveira Ramos -  Meu e-mail: linolica@yahoo.com.br

Meu site: www.linolica.com.br

 

voltar ao índice (pais & filhos)